Home Crônicas CAUSOS DE PROFESSOR

CAUSOS DE PROFESSOR

259
0

Professor deve ter muitos causos para contar. O decorrer dos anos, os alunos cada qual com sua história de vida, a variedade de alunos ano a ano ou semestre a semestre; enfim, tudo é variado e os causos devem ser muitos mesmos.

Estou afirmando isto porque me considero sempre um aluno, mas há algum bom tempo que venho sendo professor e pude constatar alguns causos. Mas vou contar dois, um que não presenciei, mas soube que aconteceu e outro que presenciei, porque era o professor.

Meu primeiro professor na Faculdade de Direito era ótimo. Um Juiz meio gordinho, com capacidade incrível de ensinar, com uma objetividade invejável; entretanto, era exigente como deveria ser.

Nesta vida ele não está mais, mas tenho boas lembranças dele e, muitos de seus ensinamentos, ainda me acompanham.

Consta que na aula seguinte após a prova bimestral este professor que vou chamar de AC, entrou na classe com o pacote de provas nas mãos. Mas, entrou marchando e dizendo, um dois, um dois, um dois, … . Evidente que todos riram. Afinal era o professor de Direito Civil que entrava de uma maneira inesperada.

Perguntou AC: DO que vocês estão rindo? Os alunos um tanto sem saber o que responder ficaram em silêncio. O professor AC respondeu a pergunta que ele mesmo fez: Estou somente dizendo as notas que vocês tiraram.

Foi um silencio sepulcral. Não havia mais  motivo para risadas.

No Direito nós temos o vocábulo ônus, que tem o significado de encargo, isto é, toda aquela pessoa, ou parte, que faz uma alegação a ela cabe provar, chamado tecnicamente de ônus da prova. Assim se alguém propor uma ação e diz que o outro está lhe devendo uma quantia que emprestou, então tem que provar que fez o empréstimo. Se o outro que é o réu alegar que já pagou, então tem que provar que pagou.

Pois bem. O professor lecionava a parte do conteúdo programático denominado Da Prova, e um dos temas era ônus da prova, que no conteúdo é fundamental saber. No dia que expôs a matéria disse para estudarem para a prova, porque haveria questões sobre o tema.

A prova foi devidamente aplicada e algumas questões sobre o tema foram apresentadas.

Ao corrigir o professor teve uma grande surpresa quando um aluno escreveu mais de uma vez sobre o anus da prova. Tamanha foi a besteira, que o professor parou de corrigir, fez anotações em vermelho e escreveu a nota obtida pelo aluno: zero.

Na outra aula entregou as provas para os alunos verificarem os acertos e erros. O aluno do anus ainda foi perguntar por qual motivo sua nota foi zero.

O aluno acabou por abandonar o curso, não sei se por esse motivo ou por outros.

Passados alguns anos o professor estava lecionando quando no intervalo apareceu um jovem, dizendo: Professor vou retornar aos estudos. Que bom, respondeu o professor. O senhor se lembra de mim? Não, não lembro, disse o professor. Terminou o jovem. Ah! Eu sou aquele do anus da prova, e os dois riram do que aconteceu.

Mas, o aluno não retornou. Acredito que tenha pensado um pouco e pensou que era melhor outro caminho.

Para terminar, no primeiro dia de aula, após o término da aula aproximou-se um aluno e disse: Professor não sei o que estou fazendo aqui. Por quê? Perguntou o professor. Fiz matricula para Administração, afirmou o aluno.

Em resumo, só no final da aula de Direito Civil é que o aluno percebeu que estava na sala e curso errados.

É isso ai! Abraço a todos.

AnteriorSão Paulo Convention & Visitors Bureau completa 30 anos de sucesso
PróximoMarapanim: Festival de carimbó homenageia mestre Pelé