Home Reflexão Ambiental Lírio sem pólen e Planta Ovo estão entre os lançamento da Expoflora...

Lírio sem pólen e Planta Ovo estão entre os lançamento da Expoflora 2012

131
0

Realizada em Holambra, interior de São Paulo, a Expoflora chega para dar as boas-vindas à primavera e apresentar as novidades e tendências em flores e plantas ornamentais. Antiga colônia holandesa, a cidade, cujo nome é a junção das palavrasHolanda, América e Brasil, é o maior centro de cultivo e comercialização de flores e plantas ornamentais do país, respondendo por cerca de 35% a 40% das vendas do setor

Lírio dobrado sem polén, a curiosa planta ovo originária da Índia, o Ranunculus de corte, que parece uma rosa com muito mais pétalas e a delicada Agapanthus (como o próprio nome sugere, a Flor do Amor) estão entre os lançamentos apresentados pelos produtores de Holambra na Expoflora, maior evento de flores e plantas ornamentais da América Latina, realizada no período de 30 de agosto a 23 de setembro, de quinta a domingo, das 9h às 19h.

Além desses lançamentos, os visitantes também poderão verificar as novidades de 2012, como os hibiscos dinamarqueses, a coleção de orquídeas Phalaenopsis naturais, bem exóticas, como se tivessem sido pintadas a mão e as de tom lilás (Lila Mystique), coloridas graças a uma tecnologia importada da Holanda. As Phalaenopsis são apresentadas em dois novos tamanhos, midi e supermini, cujas pétalas não ultrapassam os três centímetros. No mercado desde meados do ano, o Antúrio Thunder Bird Luxury caiu no gosto dos brasileiros por apresentar uma cor bordô brilhante, seguindo a tendência de cores fortes avermelhadas e terrosas. Tem ainda a Princettia, da família da Poinsétia, aquela flor muito usada decorações de Natal, só que nas versões de vários tons de rosa.

E, por falar em tendências, a Expoflora exibe o colorido das Açucenas (Amarillis), que conquistaram há anos o mercado europeu e, agora, começam a ser muito valorizadas e utilizadas em todo o Brasil, principalmente em projetos paisagísticos. Os buquês de flores do campo chegam com tudo como uma delicada opção de presente para as mais diversas ocasiões nas estações Primavera e Verão.

Sobre os lançamentos

Lírios dobrados sem polén
Mais pétalas, charme em dobro. É como se uma flor estivesse dentro da outra. Essa variedade também se destaca pelo aroma, mais suave do que o convencional e muito agradável. A maior novidade é que essa variedade não apresenta o “pistilo” (órgão reprodutor da flor, cujo nome científico é Gineceu), onde se encontra o pólen da flor, Isso proporciona maior durabilidade nos arranjos, uma vez que o pólen, quando não retirado, pode manchar as flores e folhas do arranjo, além das mãos e roupas de quem o toca. Essa planta foi desenvolvida por empresas de melhoramento genético na Holanda e está sendo produzida em Holambra pela Fazenda Terra Viva. No mercado brasileiro a partir de setembro, o Lírio dobrado sem pólen poderá ser encontrado nas cores branco, rosa e branco e mesclado. Sua durabilidade de 15 dias. Além de flor de vaso, o lírio dobrado estará disponível como flor de corte.

O Lírio é o nome popular dado às flores do gênero Lilium L. da família Liliaceae, originárias da Europa, Ásia e América do Norte. Eles apresentam folhas grandes, lanceoladas e lisas, uniformemente distribuídas ao longo da haste floral. As flores são muito perfumadas e apresentam diversas cores. O gênero Lilium compreende mais de 100 espécies distribuídas pelo mundo, sendo que cerca de 55% delas se encontram na China e no Japão.

Lírio Tiny Doble You é originário da Holanda e não possui pólen
(clique na foto para download)
Lírio Tiny Double You sem pólen
O Lírio Tiny Double You é um lírio asiático sem perfume e com pétalas e sépalas dobradas, flores e folhas pequenas e super delicadas em tom alaranjado bem suave e sem pólen. Justamente por não haver a polinização, a planta tem uma vida útil mais longa. Seu ciclo de desenvolvimento é também mais rápido se comparado com os lírios convencionais. Originário da Holanda, o Tiny Doble You é cultivado no Brasil por Johannes Pretus Wulfram de Wit, da empresa Jan de Wit Lírios, em Holambra (SP). Seu cultivo requer o controle de luz e temperatura gerenciada. A produção prevista é de 1.500 a 2.000 vasos apenas para o seu lançamento na Expoflora para averiguar aceitação do público. Por ano a produção deve atingir 10 mil unidades por. A flor deve chegar de forma regular ao mercado a partir do Dia da Mulher, em março de 2013.

Planta Ovo (Solanum Ovigerum)
Uma das plantas mais interessantes lançadas na Expoflora este ano tem origem na Índia. A Solanum Ovigerum, conhecida como Planta Ovo embora seja da mesma família que a berinjela e o jiló, não é comestível, apenas ornamental e curiosa. Seus frutos são idênticos ao ovo de granja, esbranquiçado, e, depois de maduro, ficam com a coloração amarela, parecido com o ovo caipira. Cada planta produz de 5 a 15 frutos. As flores são solitárias, de cor lilás. O tamanho da planta varia entre 30 e 50cm de altura. Suas hastes são eretas, ramificadas e pubescentes (superfície coberta de pêlos finos). As folhas são alternas (uma folha em cada nó), ovais, anguladas ou lobadas (pequenas elevações arredondadas) e onduladas nas bordas.

A curiosa Planta Ovo é originária da Índia
(clique na foto para download)
De acordo com o produtor Alex Vermeulen, do sitio Horizonte, em Holambra, a variedade pode ser cultivada em vasos e canteiros. O período de produção é de 6 meses, da muda até os primeiros frutos. Para o seu cultivo é necessário um substrato a base de casca de eucalipto e a irrigação deve ser feito aspersão (borrifação de água).  As indicações são o plantio em um vaso com terra vegetal, mantê-la em local bem arejado e pouca rega. A Planta Ovo chega ao mercado com a Expoflora e tem uma produção estimada de 700 vasos por semana ou cerca de 3 mil vasos/mês.

Ranunculus de corte

Ranunculus elegance: parece uma rosa com muito mais pétalas
(clique na foto para download)
Originária do leste do Mediterrâneo e sudoeste da Ásia, o Ranunculus chega ao Brasil com duas variedades: Success e Elegance. Embora as sementes dessa variedade sejam holandesas, a planta foi criada na Itália pela casa Biancheri Creations. Ela parece uma rosa com muito mais pétalas. No Brasil o seu plantio é feito pelos produtores de Holambra em regiões de altitude com climas frios, como de serra de Andradas (Sitio Vale das Flores, do produtor Miguel Esperança) e Araxá (da Fazenda Terra Viva), em Minas Gerais. O Ranunculus tem excelente durabilidade, permanecendo bonito e vistoso por até 14 dias em vaso. Suas hastes variam de 35 a 50cm de altura e as flores costumam ter de 5 a 12cm de diâmetro, dependendo do tempo no vaso já que ela continua em desenvolvimento. As flores não têm perfume. Enquanto o Elegance é cultivado a partir de sementes, o Success tem origem em laboratório, apresentando como diferenciais hastes mais altas e flores de maior diâmetro. A gama de cores é grande, como o Success Saigon (coral), Rio (branco e rosa), Viola (violeta) e Elios (amarelo e vermelho). O Elegance é encontrado nas cores branco, rosa, rosa claro, pink, lilás, amarelo e laranja. Flor de vaso e de corte, ele é indicado para tanto para decoração como para buquês de noivas. O ciclo de produção leva ao menos seis meses na estufa, dos quais 90 dias para o plantio das sementes até a retirada da muda, e mais 90 dias do plantio da muda até a colheita. A estimativa dos produtores é de produzir 100 mil hastes por ano.

Agapanthus

A Agapanthus também é conhecida como Flor do Amor
(clique na foto para download)
A Agapanthus chega ao mercado brasileiro após cinco anos de testes. Embora seja originária da África do Sul, o nome tem raízes gregas: Ágape (amor) e Anthus (flor).  Descrita pela primeira vez pelo botânico francês Charles Louis L’Héritier de Brutelle (1746-1800), a Agapanthus ficou conhecida como a Flor do Amor por estar cercada por uma lenda romântica, segundo a qual os namorados que a cultivam se casam e vivem felizes para sempre. De haste firme e longa, com cerca de 70cm, no Brasil a Agapanthus é encontrada nas cores branca e azul. Flor de corte, ela tem durabilidade de sete a 10 dias (dependendo do tratamento pós-corte), não possui perfume e é ideal para decoração. Cultivada pela Flora Africana em Holambra (SP) e em Gravatá (PE), ela demora um ano para chegar ao ponto de colheita. Apesar do longo processo, o produtor Dirk Nee Wis garante a produção para o ano inteiro, estimando a colheita de 500 mil hastes.

Princettia

Princettia Dark Pink, novidade no mercado brasileiro
(clique na foto para download)
Da mesma família da Poinsétia, aquela flor vermelha que é super utilizada nas decorações de Natal, a Princettia tem duas importantes diferenças: as cores, em quatro diferentes tonalidades de rosa (Dark Pink, Hot Pink, Pink e Soft Pink), e o aspecto foliar, já que Princettia possui folhas aveludadas enquanto que as Poinsétias são mais lisas. Essa for é originária do Japão e foi lançada com grande sucesso nos Estados Unidos e na Europa. No Brasil ela chegou em março deste ano e está sendo cultivada pelo produtor Cornelis Joseph Weel, no Sítio Água do Poço, no Distrito de Campos de Holambra na cidade de Paranapanema, interior de São Paulo. A produção prevista é de 60 mil unidades/ano. Essa flor apresenta alta durabilidade e quase não tem perfume. A Princettia pode adquirir um porte de até 1,20m. Esse porte pode ser regulado através do manejo de podas.

NOVAS ORQUÍDEAS
Conta-se que há cerca de 3.000 anos, a rainha de Sabá estava indecisa de como presentear o Rei Salomão. Afinal, o que poderia encantar um rei tão poderoso? Uma escrava lhe trouxe uma sugestão: “ao maior dos reis, leve um feixe de orquídeas”. Passado tanto tempo, o fascínio por essa flor ainda persiste e as orquídeas continuam a aumentar sua legião de fãs e apaixonados. Por isso, todos os anos os produtores procuram colocar no mercado nossas variedades das mais diferentes espécies.

Orquídea Lila Mystique

Tecnologia holandesa garenta a coloração lilás à Orquídea Lila Mystique
(clique na foto para download)
Segunda flor da linha Blue Mystique, a Orquídea Lila Mystique, criada pelo Sítio Kolibri, em Holambra, é uma Phalaenopsis de cor lilás graças à tecnologia holandesa de infusão da tinta em sua produção. A flor é originalmente branca e as próximas floradas serão dessa cor. Como qualquer Phalaenopsis, sua florada dura de 1 a 3 meses, de acordo com o tratamento que ela recebe. Assim como a Blue Mystique, de cor azul e lançada no ano passado, essa nova cor deverá ser muito solicitada para a decoração de festas e eventos, além de atender o mercado de presentes. A produção semanal é estimada em 900 vasos.

Orquídea Phalaenopsis Exótica

Cores fortes e vibrantes marcam a Coleção Exótica de orquídeas Phalaenopsis
(clique na foto para download – crédito: Humberto de Castro)
Pensando em adicionar ainda mais beleza às orquídeas, a Fazenda Terra Viva, de Holambra, preparou para o mercado a Coleção Exótica na qual as Phalaenopsis ganham um aspecto de pintadas a mão. Todas trazem cores fortes e vibrantes. São 10 diferentes tipos de desenhos e cores à disposição do consumidor. A orquídea Phalaenopsis é originária da Indonésia e das Filipinas e, como planta tropical, prefere temperaturas entre 18 e 28°C.
Orquídeas Phalaenopsis – midi e superminis

Orquídeas midi e supermini traz muita sutileza na decoração de ambientes
(clique na foto para download – crédito: Humberto de Castro)
Ao diminuírem de tamanho, as orquídeas Phalaenopsis ganharam ainda mais mercado e são bastante utilizadas na Ásia e na Europa. No mercado brasileiro as miniorquideas foram lançadas no ano passado, na Expoflora, fizeram muito sucesso e, na edição de 2012 ganham duas novas versões: midi e a supermini Phalaenopsis. O formato da haste e da flor não mudam em nada. A alteração é só mesmo no tamanho e em algumas cores. Enquanto a haste da Phalaenopsis normal mede entre 45 e 60 cm, a da supermini atinge, no máximo, 15 cm. E, enquanto o tamanho das flores da orquídea normal varia de 9 a 13 cm, as pétalas da supermini não ultrapassam os 4 cm.
A midi e a mini orquídea ficam entre as duas: a midi tem altura de 30 a 40 cm e flores com 6 a 7 cm de tamanho e a supermini chega a 20 a 30 cm de altura com flores de 5 cm. A produção dessas orquídeas é feita em estufas climatizadas em diferentes tamanhos para permitir que elas possam fazer parte da decoração de qualquer ambiente. A Phalaenopsis normal, por exemplo, por ser mais alta, é indicada para decorar aparadores e móveis de canto. A midi orquídea fica linda como centro de mesa, por exemplo, ou para ser colocadas em estantes nas salas de visita e de recepção. A mini e a supermini são indicadas para mesas de escritório, ou, mesmo, para pias de cozinha ou de lavado.
Mesmo indicada para ambientes internos, após sua floração ela pode ser plantada em jardins ou em árvores, onde se adapta muito bem. A Phalaenopsis normal pode ser encontrada nas cores branco, rosa, mesclada e rajada); a midi, nas cores rosa claro e branco com miolo rosa; a mini é apresentada nas cores amarelo, branco, rosa e mescladas e, a supermini, por enquanto, apenas no rosa escuro. Todas elas são vendidas em vasos biodegradáveis, que podem durar pode durar até três anos. A estrutura básica é feita de bambu mesclada com fibras de trigo, arroz e milho. Por serem feitos de materiais naturais, podem ser plantados diretamente no solo, já que sua base serve, também, como nutriente para as plantas. Esse lançamento é dos produtores Deborah e Michael van Hoof, da Florquidea, de Holambra. O interessante é que essa variedade pode ser cultivada durante o ano todo, e não apenas entre julho e novembro, época natural de floração dessa espécie. O ciclo para a primeira floração varia de 18 a 24 meses. As flores, de diversas cores, duram cerca de 45 dias.

Orquídea Vanda no pote de vidro

A orquídea Vanda ficou ainda mais charmosa no pote de vidro
(clique na foto para download – crédito: Humberto de Castro)
A Nativa Orquídeas decidiu lançar esse ano a Vanda no pote de vidro tornando-a ainda mais decorativa. A Vanda é uma orquídea que costuma ter sua primeira floração só aos seis anos e a partir desta idade, pode florir até quatro vezes ao ano, se bem cuidada e se o inverno não for muito rigoroso. As Vandas são orquídeas epífitas (plantas que se estabelecem diretamente sobre o tronco, galhos, ramos ou sobre as folhas das árvores), e possuem velame em suas raízes que funcionam como esponja, retendo água e nutrientes. As raízes com velame branco ficam verdes quando molhadas.

Sobre as tendências e novidades

Açucena

Flor de bulbo, a Açucena é comparada à Tulipa
(clique na foto para download – crédito: Humberto de Castro)
A Açucena (gênero botânico Amaryllis) é originária da América do Sul, mas muito conhecida e desejada na Europa. Ela é a grande tendência do paisagismo na temporada Primavera/Verão. Na Expoflora foram plantados 10 mil bulbos da flor na Alameda dos Amarillis, por onde passa a Parada das flores (agora, às 16h), assim como na Praça Klass Schoenmaker, em frente à sala da Assessoria de Imprensa. Ela também pode ser encontrada nos ambientes da mostra de paisagismo e jardinagem. Comparada à Tulipa por ser uma flor proveniente do bulbo, por desabrochar na primavera e por impressionar com suas cores fortes e vibrantes. Ela tem um rápido crescimento e floração de até um mês. Depois desse período o bulbo entra em período de dormência para florescer novamente na primavera. Para se ter uma ideia, 95% da produção de bulbos da açucena no Brasil são exportados para a Europa. Enquanto os brasileiros optam pelos pinheiros ou tuias ornamentados no Natal, na Holanda a Açucena foi adotada como símbolo natalício, sendo usada na decoração das mesas. Um único bulbo de Açucena pode dar 08 flores ou mais, sendo que, depois da florada, ela dura aproximadamente 20 dias. Essa flor não tem perfume. A Açucena é cultivada em Holambra pelo produtor Andre Borsen e pela Fazenda Terra Viva, em 50 hectares na região de Casa Branca (SP) e no Ceará.

Hibiscos HibisQs

HibisQs Boreas White, uma das variedades de hibiscos desenvolvidas na Dinamarca
(clique na foto para download – crédito: Humberto de Castro)
O produtor René Vernooy introduziu no mercado brasileiro esse ano, 21 novas variedades de hibiscos cruzadas na Dinamarca e trazidas ao país pelo breeder (criador). Registradas com o nome HibisQs as novas variedades podem ser encontradas nas cores branco, vermelho, amarelo, rosa, laranja e bicolores. Os diferenciais dessas novas variedades são as cores intensas, as flores grandes, sendo algumas dobradas, o seu rápido crescimento e a abundancia de botões. Os HibisQs são longiflorum, ou seja, mais duráveis. Algumas das variedades ficam entre dois 2 e 3 dias abertos, enquanto os tradicionais duram apenas um dia. Para se ter uma ideia, normalmente leva-se 10 anos para introduzir uma nova variedade  de hibiscos no mercado. Essas plantas são selecionadas e multiplicadas em laboratório, livres de vírus e bactérias, criando as matrizes que o produtor precisou para iniciar o cultivo em larga escala. Em Holambra, essas novas variedades estão sendo produzidas no Sitio Panorama Flores. Os hibiscos são originários da China, sudeste da Ásia e das Ilhas Polinésias, incluindo o Havaí, onde as flores são usadas pelas mulheres que as colocam atrás das orelhas, indicando que a pessoa está casada, mas a procura companhia. São muito usadas na decoração e até para enfeitar pratos. Em alguns lugares, onde são cultivadas sem agrotóxicos, são utilizadas também para chás e geleias. O hibisco tem como características a abundância de flores, que se renovam num curto ciclo de troca e a grande diversidade de formas e cores. Essas plantas medem entre 1m e 5m de altura e florescem durante o ano todo. As folhas podem ser largas ou estreitas e variegadas (zonas com colorações diferentes). São muito usados como cerca-viva, em canteiros, vasos ou jardins. Precisam ficar expostos ao sol e aguados regularmente, com o cuidado de não encharcar a raiz. As 21 novas variedades são: Poul Graff (HibisQs Boreas White, HibisQs Adonicus Pearl, HibisQs Adonicus Salmon, HibisQs Adonicus Rosa, HibisQs Adonicus Apricot, HibisQs Adonicus Yellow, HibisQs Cabrillo, HibisQs Zefyr, HibisQs Juno, HibisQs Dark Rosa, HibisQs Ceres, HibisQs Laluna, HibisQs Artionicus, HibisQs Volcano, HibisQs Adonicus, HibisQs Maia, HibisQs Apollo, HibisQs Graces, HibisQs Athenacus, HibisQs Boreas Yellow).

Antúrio Thunder Bird Luxury

O Antúrio Thunder Bird foi desenvolvido geneticamente na Holanda
(clique na foto para download)
De formato e cor diferenciados, o Antúrio Thunder Bird Luxury é uma planta única no mercado brasileiro. Desenvolvido geneticamente na Holanda é produzida no Brasil, em Holambra, pela Fazenda Terra Viva esse Antúrio apresenta uma cor bordô brilhante, seguindo a tendência de cores fortes avermelhadas e terrosas, que, em contraste com a haste ainda mais escura, cria um tom sobre tom delicado e, ao mesmo tempo, requintado. O formato da folha também é inovador por ser mais triangular.  O Antúrio é uma das espécies mais famosas da família das Aráceas (que reúne cerca de 600 espécies, todas originárias da América Tropical). Sua flor é bem pequena, do tamanho da cabeça de um alfinete. A parte colorida e exótica que muitos pensam ser a flor é, na verdade, uma inflorescência, ou seja, o conjunto formado pela espádice (espiga onde brotam as minúsculas flores) e pela espata do antúrio (bráctea colorida, ou a folha modificada). As verdadeiras flores do antúrio são os pontinhos amarelos que brotam na espiga. O Antúrio é uma planta perene e não tem perfume.

Coleção Emoções
Os buquês de flores do campo estão em alta, sendo um delicado presente nas mais diversas ocasiões. Assim, uma mistura de cores, tamanhos e formatos variados deram origem à coleção Emoções da Fazenda Terra Viva. São buquês com 10 tipos de flores, cada uma com o seu significado: Gérbera (paixão), Lírio (pureza, paz e felicidade), Flor do Campo (alegria), Aster (sensibilidade), Gladíolo (vitória, conquista), Liatris (coragem), Lisianthus (sofisticação), Calla (amor), Alstoemeria (ternura) e Primavera (felicidade). Pela imensa variedade de cada espécie, é possível encontrar mais de 80 tonalidades de cores nos buquês. Para chegar ao destino sempre com o aspecto de flores frescas, existe um tratamento pós-colheita para que os arranjos durem entre 7 e 20 dias. Como tudo na Expoflora esse ano será voltado para o amor, a organização decidiu criar ações interativas com os visitantes para que eles possam expressar os seus sentimentos. Para tanto, de duas a quatro floristas circularão pelo recinto da Expoflora oferecendo Torpedo de flores. A pessoa escolhe a flor que quer mandar para alguém que esteja no recinto, preenche o cartão e a florista encarrega-se de entregar, na hora, o “torpedo de flores” para o destinatário. Os torpedos serão os 10 tipos de buquês da Coleção Emoções da Fazenda Terra Viva

Serviço:
31ª Expoflora
Data: de 30 de agosto a 23 de setembro, de quinta-feira a domingo
Horário: das 9h às 19h
Localização: Holambra, SP 340, rodovia Campinas-Mogi Mirim, saída 140.
Ingressos; R$ 30,00. Crianças de até cinco anos de idade, acompanhadas dos pais ou responsáveis, não pagam.
Informações sobre a Expoflora: 19 3802-1421 – expoflora@expoflora.com.br

AnteriorVaso de flor e dueto holandês estão entre as novidades culinárias da Expoflora
PróximoXXIX Congresso Nacional da ABRAJET – SANTA CATARINA – SC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here